A Energia Tem Sua Própria Lei

Osho está longe de dar ensinamentos que todos concordem. O de hoje é realmente muito polêmico, até para mim, mas em certa parte acredito que ele tenha razão. Acredito que ser direto e duro algumas vezes era seu jeito de fazer com que as pessoas pensassem mais sobre o que dizia e não aceitassem tudo como verdades sólidas. Bem como a energia flui, os ensinamentos também, e nada deve ser levado a ferro e fogo. Devemos sempre tirar aquilo que faz sentido para nós. Neste trecho extraído do livro “Desvendando Mistérios” ele fala que a energia tem sua própria lei. Algo como o nosso amado Wu Wei, mas com palavras um pouco mais firmes e exemplos esclarecedores.

Boa leitura!

A Energia Tem Sua Própria Lei

“Deus não é uma pessoa, mas uma energia. Isso implica que a energia não tem consideração por indivíduos; tudo o que acontece com cada indivíduo acontece imparcialmente.

Por exemplo: a árvore na margem de um rio recebe sua nutrição do fluxo que passa; ela dará flores e frutos e crescerá alta e forte. Mas a árvore que cai na correnteza será levada para longe pela veloz corrente de água. Ora, o rio nada tem a ver com nenhuma dessas árvores. Ele não está interessado em alimentar a primeira nem em destruir a segunda. O rio simplesmente flui, é uma energia fluente, e não uma pessoa.

Sempre cometemos o engano de considerar Deus como pessoa. Portanto, todo o nosso modo de pensar sobre Deus o considera como se ele fosse uma pessoa. Dizemos que ele é muito bom, que é misericordioso, que sempre os abençoa… Essas são nossas expectativas e nossos desejos, que impomos a Deus. Embora possamos impor nossas expectativas a uma pessoa e, se elas não forem cumpridas, fazer com que ela seja responsável por isso, não podemos fazer o mesmo com a energia. Assim, sempre que lidarmos com energia como se ela for uma pessoa, fatalmente nos extraviaremos, pois então nos perderemos em sonhos. Se lidarmos com a energia, os resultados serão inteiramente diferentes.

Por exemplo, a força da gravidade: somos capazes de andar sobre a Terra por causa dessa força mas ela não se destina especialmente a fazer com que você caminhe. Não pense, erroneamente, que, se você não andar, a gravidade não existirá. Ela existia quando você não estava na Terra e existirá mesmo depois de você não existir. Se você caminhar incorretamente poderá cair e quebrar as pernas, e isso também será devido à gravidade, mas você não será capaz de processar ninguém em função disso, pois não há ninguém para culpar. A gravidade é uma corrente de energia, e, se você quiser lidar com ela, precisará ser cuidadoso a respeito de suas leis de funcionamento, mas ela simplesmente não pensa em como lidar com você.

A energia de Deus não funciona a partir da consideração por alguém. Na verdade, não está correto dizer “a energia de Deus”; em vez disso, deveríamos dizer: “Deus é energia”. Deus não pensa sobre como se comportar com você; ele tem sua própria lei eterna, e essa lei eterna é a religião. Religião significa as leis do comportamento da energia que é Deus.

Se você se comportar com discernimento, compreensão e em conformidade com essa energia, ela se tornará graça para você – não por causa dela, mas por sua causa. Se você fizer o oposto, se for contra as leis da energia, ela não produzirá nenhuma graça. Nesse caso, Deus não é descortês; acontece assim por sua causa.

Dessa maneira, será um erro considerar Deus como uma pessoa. Deus não é uma pessoa, mas uma energia; portanto, a prece e a adoração não têm nenhum significado; não faz sentido ter expectativas em relação a Deus. Se você desejar que essa energia divina se torne uma bênção, uma graça para você, terá de fazer algo por conta própria; daí a prática espiritual ter significado e a prece não, a meditação ter significado e a adoração não. Compreenda claramente a diferença.

Na prece, você está fazendo algo com Deus: você suplica, insiste, espera, demanda. Na meditação, você está trabalhando sobre seu próprio ser. Na adoração, você está fazendo algo com Deus; no empenho espiritual, você está fazendo algo em relação a si mesmo. O esforço para o crescimento espiritual significa que você está se transformando de tal maneira a não ficar em desacordo com a existência, com a religião. Quando o rio flui, você não é varrido pela correnteza e, ao contrário, fica na margem onde as águas do rio fortalecem suas raízes em vez de arrastá-las. No momento em que você percebe Deus como energia, toda a estrutura da religião muda.”

A Energia Tem Sua Própria Lei Eterna - Osho - Deus - Projeto X

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *